Home Publicações Destaques Reforma da Previdência: Ampliada em Brasília delibera próximos passos na luta

Reforma da Previdência: Ampliada em Brasília delibera próximos passos na luta

E-mail Imprimir PDF


Mais de 260 representantes de diversas categorias do serviço público federal estiveram presentes no último final de semana em Brasília para a Reunião Ampliada do Fonasefe e do Fonacate (Fórum Nacional de Entidades do Serviço Público Federal e Fórum Nacional das Carreiras Típicas de Estado, respectivamente). Na pauta, a derrubada da Contrarreforma da Previdência e a revogação de outros ataques aos trabalhadores, como a Emenda Constituição que rebaixa o orçamento público, a contrarreforma trabalhista, a lei de terceirizações e demais medidas que passaram a vigorar a partir do conluio Michel Temer e bancadas no Congresso que trocaram votos por apoio a seus pleitos (bancadas ruralista, religiosa etc).

Além da Reunião Ampliada dos Servidores no final de semana, nesta segunda-feira (5) recomeçaram os "trabalhos" no Congresso, e a leitura do relatório da PEC da Previdência (PEC 287) prevista para hoje foi adiada para esta terça-feira (6). Dessa forma, a programação deliberada durante a Plenária das Centrais e Movimentos Sociais em São Luís foi alterada: o Bloco das Centrais terá concentração nesta terça-feira, 6, a partir das 15h30, na Praça João Lisboa, Centro de São Luís (antes disso, às 5h, todos e todas estão convocados/as para irem até o aeroporto alertarem os parlamentares que estarão voltando a Brasília que, quem votar (pela contrarreforma), não volta (não será reeleito no segundo semestre). Essa Campanha Nacional de pressão sobre os deputados está a todo o vapor: já nesta segunda-feira, os servidores públicos se posicionaram no Aeroporto de Brasília para receber os parlamentares com o alerta. Assim acontecerá nas capitais e no Distrito Federal nestes dois dias, 5 e 6 de fevereiro, como definido durante a reunião dos servidores públicos ocorrida em Brasília no último final de semana.

Reunião Fonasefe e Fonacate indica calendário de lutas confirmando Dia Nacional contra a Reforma da Previdência no próximo dia 19: haverá rodada de Assembleias:

fique atento que logo o Sintrajufe divulgará calendário! 

Durante a Reunião Ampliada do final de semana em Brasília, houve paineis, palestras, discussões e debates, além da indicação de um calendário de lutas unificado para o funcionalismo público em todo o país. A Fenajufe participou, e a CSP-Conlutas também se fez representar.

A Central reafirmou a necessidade de uma nova e grande greve geral para barrar os retrocessos defendidos pelo governo para agradar ao mercado. Também estiveram no encontro representações da CUT, CTB e Intersindical. Foi apontado que além de derrotar a reforma da Previdência, é imperativo reverter a Emenda Constitucional que limitou enormemente os gatos públicos, e revogar a reforma trabalhista e as terceirizações.

Após, os debates, o domingo foi dia de definição do calendário para intensificar as lutas em torno das bandeiras levantadas.

O calendário definido pelos SPFs em Brasília ficou assim dividido:

– 5 e 6 de fevereiro (5/2 e 6/2)

– Atos nos aeroportos dos Estados e em Brasília – bota-fora e recepção aos parlamentares: Em São Luís, a atividade acontece ás 5h da manhã desta terça! À tarde, a partir das 15h30, tem concentração para o Bloco das Centrais, na Praça João Lisboa, Centro de São Luís

– 6 de fevereiro (6/2)

– Ato na Comissão de Direitos Humanos do Senado (CDH), às 9 horas, na Audiência Pública de leitura do Relatório da CPI da Previdência – Frente Nacional contra a Reforma da Previdência;

– 6 a 16 de fevereiro (6/2 a 16/2) : Rodada de Assembleias nos Estados para construção do dia 19 – Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência;

 

– 19 de fevereiro (19/2): Dia Nacional de Luta contra a Reforma da Previdência, com greves, paralisações e mobilizações nos Estados;

– Lançamento da Campanha Salarial 2018 dos SPFs

– 2 de março (2/3): Ato em defesa do Sistema Único de Saúde e Hospitais Públicos – #ForaBarros

– 8 de março (8M): Incorporar as atividades internacionais e nacionais da luta das mulheres

 

Congresso retoma atividades nesta segunda-feira: além da Previdência, outros direitos sociais seguem sob ataque

Mesmo seguindo como prioridade, a contrarreforma da Previdência já não conta com a simpatia que outros ataques de Temer aos trabalhadores tiveram por parte do atual Parlamento (contrarreforma Trabalhista, Emenda dos Gastos Públicos, terceirizações, impunidade para o próprio presidente e para Aécio Neves etc). Isso porque 2018 é ano de eleições, o que força a necessidade de se seguir o calendário acima, com o mote de pressão sobre deputados e senadores “Se votar, não volta”.

É em razão da pressão dos trabalhadores, como dito durante a Ampliada do Fonasefe e do Fonacate no final de semana, que o desmonte da Previdência caiu nesse impasse, que deve ser reforçado até enterrar essa proposta por completo.

A Folha de São Paulo publicou nesta segunda-feira, dia 5, que se a PEC 287 não for votada até o dia 20, será retirada de pauta este ano, o que torna este momento da batalha decisivo.

Além da Previdência, outros retrocessos dominam a pauta neste “retorno aos trabalhos” em Brasília: maior criminalização do aborto, mesmo em caso de risco para as mulheres, privatização da Eletrobrás, entre outros. A volta aos trabalhos desta atual legislatura requer dos trabalhadores mais unidade, para uma luta ainda mais acirrada.

Sintrajufe, com Apruma e informações do Andes-SN, Fenajufe, Folha de SP, Carta Capital.

Última atualização ( Seg, 05 de Fevereiro de 2018 19:17 )  

Canal Sintrajufe

Banner